Vice do Fla critica vandalismo e atos violentos de torcedores rubro-negros.


Na madrugada desta quarta (12), rubro-negros se reuniram para incomodar e prejudicar a delegação do Independiente, promovendo um verdadeiro ‘carnaval’ na Barra da Tijuca, em frente ao hotel onde os Rojos se hospedaram. A ação dos flamenguistas acabou gerando alguns conflitos violentos, que incomodaram a diretoria do Fla.
O Vice Presidente Geral da equipe, Maurício Mattos comentou o caso, deixando claro o seu repúdio à violência durante as manifestações.
“Eu repudio veementemente a violência. Minha declaração sobre vetar o treino do Independiente não acirra nenhum tipo de situação. Se não pude treinar lá, vou dar aqui as mesmas condições. Só isso. Queria treinar no estádio. Não deixaram. É isso. Agora, a violência é um problema mesmo de educação. Eu repudio”, disse ele.
Anteriormente, Maurício havia se mostrado favorável e permissivo quanto a algumas ‘provocações’ realizadas ao adversário, afirmando que o Mais Querido daria o mesmo tratamento que recebeu quando esteve na Argentina.
“Eu acho que a gente tem que dar o tratamento que a gente recebe. Recebemos o tratamento lá desta forma, estamos dando desta forma. É lamentável, para mim, evidentemente, ganha-se ou perde-se jogo dentro do campo de futebol. A gentileza sempre tem que estar em primeiro plano”, afirmou o cartola à emissora Fox Sports, na última terça (12).
Enquanto ‘o circo pega fogo’ fora de campo, os jogadores se preparam para resolver entre as quatro linhas. A bola vai rolar no Maracanã às 21h45 e, para garantir o título no tempo normal, o Mengão precisa vencer por dois gols de saldo. Em caso de vitória rubro-negra pela vantagem mínima, o duelo vai para prorrogação. Persistindo o placar, penalidades máximas.
Fonte: Coluna do Flamengo