Menon: “Júlio César e o amor maior”


Há uma teoria, não sei se verdadeira, que defende a tese de que os elefantes, no final da vida, buscam o local onde nasceram para morrerem. É bonito. Eu mesmo, se não fosse imortal, voltaria para Aguaí.
Júlio César está fazendo esse movimento. No final de carreira, voltou ao Flamengo para a última temporada.
Foi um pedido dele ao clube. Recebe R$ 10 mil mensais, valor simbólico para alguém de seu nível e está lá, sendo feliz. Fez um discurso emocionado e emocionante para seus colegas antes de entrarem em campo para vencer o Boavista por 3 x 0.
Um discurso de torcedor, com a voz embargada. Um daqueles atos que justificam a frase ”não é só futebol”.
Quando contarem a história de Júlio Cesar e puserem lá a última linha de seu currículo, ao lado de ”2018 – encerrou a carreira no Flamengo”, será preciso acrescentar:
FOI POR AMOR.
Reprodução: Blog do Menon