Kleber Leite: “Campeonato Carioca”


Até aqui, o nosso campeonato estadual tem sido pobre como espetáculo e uma tragédia com respeito a publico pagante. Claro que alguém vai comentar que uma coisa está diretamente ligada à outra, porém, infelizmente, há outros motivos.
O primeiro problema começa pelo regulamento. Como é que pode um clube vencer os dois turnos do campeonato, isto é, ser campeão da Taça Guanabara, e também da Taça Rio e, não ser consagrado campeão? É isso mesmo. Caso venha a ocorrer, o vencedor dos dois turno, ou seja, do campeonato, só terá a vantagem do empate, em um novo campeonato. Isto existe? Será que alguém imagina que o torcedor é um idiota?
Há em todo este processo o lado político e o financeiro. Como os clubes pequenos representam maioria, fica o presidente da Federação na obrigação de não contrariá-los. E o que querem eles? O maior número de jogos, para que possam faturar mais. Este modelo já deu…
Acredito ser possível um projeto bem elaborado que divida o Campeonato Carioca em duas etapas. A primeira, envolvendo apenas os clubes pequenos. Se for bem elaborada, bem programada e com boa comunicação, pode ser até atraente. Este campeonato classificaria os quatro primeiros colocados para a etapa final, com estes quatro pequenos e os quatro grandes, um contra todos, em dois turnos. Taça Guanabara e Taça Rio. Se o mesmo clube fosse o vencedor dos dois turnos, seria proclamado campeão. Se houvesse um vencedor da Taça Guanabara, e outro clube levantasse a Taça Rio, dois jogos, e aí sairia o campeão estadual. Simples, não?
Outra coisa que não dá para entender fica por conta da programação. Flamengo x Botafogo, em um sábado, às 17h. Vasco e Fluminense em uma quarta-feira, às 19h30. E por aí vai…
Caso os clubes grandes não tomem a iniciativa de provocar um diálogo que possa conduzir a uma profunda modificação neste cenário tenebroso a que estamos assistindo, serão, pela omissão, cúmplices na morte de uma competição maravilhosa, que um dia já foi a mais importante do calendário carioca.
Há solução. Para isso e, já, ação e, vontade de mudar.
Reprodução: Kleber Leite