Justiça libera funcionários e líder de organizada envolvidos em esquema de revenda de ingressos.


Como noticiado anteriormente, na tarde desta terça, o Flamengo entrou com pedido de revogação da prisão de um dos funcionários da tesouraria do clube, Cláudio Tavares, que estava envolvido em esquema de revenda ilegal de ingressos, e o rubro-negro obteve sucesso em sua ação.
Parte da decisão que determinou a soltura de alguns dos investigados (retirada do GE)
Além do funcionário do Fla, foram detidos também três  três funcionários da “Imply”, empresa responsável pela distribuição dos ingressos: Leandro Shilling, Vinicius Carvalho e Monique Patrício dos Santos Gomes, que acabaram sendo liberados junto a Tavares.

A denúncia, formulada pelo procurador Marcelo Kac, do Grupo de Atuação Especializada do Desporto e Defesa do Torcedor afirma que Cláudio, Leandro, Vinicius, Monique e Alesson se associaram com a intenção de repassar ingressos às organizadas, que repassariam aos cambistas desde março deste ano.
Fonte: Coluna do Flamengo