Fla vai ter que jogar Libertadores na Ilha do Urubu.


Foi o tempo em que o Maracanã era respeitado e frequentado apenas pelos amantes do esporte. O Maracanã está priorizando show para ganhar dinheiro ao invés de futebol.

Serão 5 shows em 16 dias e após essa maratona, o gramado precisará ser trocado. Nesse período o Campeonato Carioca estará a pleno vapor, 6 partidas, sendo que 2 semifinais, 1 final, sem falar na estreia do Flamengo na Libertadores, que não poderão ser realizadas no estádio.
De Wesley Safadão a música eletrônica, Phil Collins e Foo Fighters,  a previsão é que cerca de 15 mil a 70 mil pessoas por esses dias, pisoteiem o solo sagrado onde Zico se tornou rei. Os eventos ocorrerão entre 9 e 25 de fevereiro, no dia 26 a grama começará a ser trocada.
A grama leva de 10 a 15 dias para estar apta para jogos, se de fato for trocada nesse período, o Flamengo não terá lugar no Rio em sua estreia na Libertadores. 
— O Maracanã é a nossa primeira opção. Não me passaram nada de que não poderíamos mandar a partida lá, caso não haja a punição. Claro que estamos esperando a Conmebol. Mas não fomos avisados de nada até agora — disse o presidente Bandeira.
O presidente disse ainda que não existe um plano b, mas que uma partida desse porte dificilmente poderá ser jogada na Ilha do Urubu. Lembrando que o consórcio Maracanã S.A. tem contrato com Flamengo e Fluminense e que é previsto que o futebol seja priorizado na maior parte do tempo. Segundo esse documento, o ideal é que aconteçam cerca de dois eventos desse porte no estádio por ano. Para 2018, já há quatro agendados: Phil Collins, Foo Fighters, Pearl Jam e Roger Walter (em outubro).
A Casa Civil do Estado não respondeu se cabe multa ou punição à Maracanã S.A.