Boavista lamenta veto ao Nilton Santos e não quer jogo em Volta Redonda.


Mandante na final da Taça Guanabara e botafoguense declarado, o gestor do Boavista, João Paulo Magalhães, se mostrou decepcionado com o veto do Botafogo ao Estádio Nilton Santos para a decisão do próximo domingo contra o Flamengo.

O homem forte do Verdão de Bacaxá, inclusive, fez questão de deixar claro que não gostaria que a partida fosse realizada em Volta Redonda.

João Paulo apoiou Nelson Mufarrej nas eleições.

“Uma pena. Eu gostaria de jogar na casa do Botafogo, pois me sinto em casa. Eu acho que o Boavista é uma extensão do Botafogo. Seria ideal o local”.

 – Nós estamos representando todos os demais clubes tirando os grandes. Acho que jogar em Volta Redonda será ruim para esta final. Lá é muito fora de mão e o estádio costuma ficar vazio. Você vê que Flamengo e Botafogo na semifinal tiverem pouco mais de 6 mil pessoas. Uma final onde a cidade fica a quase 300 km da nossa torcida. Será somente público do Flamengo. A partida também terá a forte concorrência pelo fato do jogo ser em TV aberta – disse João Paulo.

Apesar de não concordar com o confronto em Volta Redonda, João Paulo afirmou que irá aguardar a reabertura da FERJ.

– Apesar de eu ser o mandante e a definição de indicar o mando de campo ter que partir do Boavista. Vou consultar a Federação e o adversário para ver como iremos fazer para a final de um campeonato tão importante e charmoso quanto a taça Guanabara. Vou aguardar a reabertura da Federação do Rio nesta quarta para poder falar com o Departamento de competições para ver qual instruções vou receber. Caso o regulamento permita adoraria jogar em Saquarema contra o Flamengo, assim como já iremos fazer pela quarta rodada da Taça Rio. Mas entendo que, como se trata de final de turno, o mando de campo deve ser neutro.
Mas eu repito. Gostaria de jogar no Nilto Santos, casa do Botafogo, onde eu me sinto em casa, por ser uma extensão do Botafogo dentro do futebol do Rio – concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *